“Com o encontro conseguiremos aperfeiçoar as práticas do MP de Contas”, afirma Procurador-Geral em reunião do conselho Nacional dos Procuradores-Gerais

Quinta-feira, 08 de Junho de 2017

Por: Bruna Galina com informações da Ascom TCE/TO 


O Procurador-geral do Ministério Público de Contas de MS (MPC/MS) João Antônio de Oliveira Martins Junior participou na manhã desta quinta-feira (08/06) da reunião do Conselho Nacional dos Procuradores-Gerais de Contas (CNPGC). O encontro ocorreu no Instituto de Contas 5 de Outubro, do Tribunal de Contas do Estado do Tocantins (TCE/TO). O objetivo da reunião era para aperfeiçoar e integrar as práticas dos Ministérios Públicos de Contas (MPCs) de todo o país. 


Pela primeira vez em Palmas, o procurador-geral do MPC/MS, João Antônio de Oliveira Martins Júnior, disse que a expectativa é somar esforços. “Com o encontro conseguiremos aperfeiçoar as práticas do Ministério Público de Contas, buscando a nossa independência e isenção, sempre em defesa da sociedade”, disse. 


Segundo a presidente do CNPGC e procuradora-geral do MPC do Distrito Federal, Cláudia Fernanda Oliveira Pereira, o objetivo é fortalecer a atuação da instituição. “Aqui serão debatidas pautas nacionais, como a autonomia dos MPCs, com procedimentos que respeitem a legalidade, a transparência e a melhor a fiscalização dos recursos públicos.” 


De acordo com o procurador-geral do MPC/TO, Zailon Miranda Labre Rodrigues, a reunião discute as principais problemáticas. “Estamos aqui para definir rumos, a fim de avançar com a atual conjuntura da administração pública brasileira e debater a composição dos Tribunais de Contas em relação à PEC 329”, disse. A proposta de emenda constitucional "altera a forma de composição dos Tribunais de Contas; submete os membros do Ministério Público de Contas ao Conselho Nacional do Ministério Público - CNMP e os Conselheiros e Ministros dos Tribunais de Contas ao Conselho Nacional de Justiça - CNJ e dá outras providências". 


Ainda foi debatida a importância do alerta sobre as contratações de escritórios de advocacia com recursos oriundos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (FUNDEF) que, segundo os procuradores, estão ocorrendo em diversos estados brasileiros. Outro ponto discutido foi a normatização das práticas dos MPCs. 


CNPGC 


Criado em 9 de outubro de 1981, funciona como um colegiado e tem como objetivo defender os princípios, prerrogativas e funções institucionais do MPC. É sua função integrar os Ministérios Públicos de todos os Estados brasileiros; promover intercâmbio de experiências funcionais e administrativas; e trabalhar pelo aperfeiçoamento da instituição, traçando políticas e planos de atuação uniformes ou integrados que respeitem as peculiaridades regionais. O Conselho avalia, periodicamente, a atuação do Ministério Público de Contas.


 

Galeria

Ascom TCE/TO

Notícias

Artigos

Enquete